Campanhas de Sensibilização

Sensibilização nas Escolas 




    Instalação de Compostores nas Escolas

      Foram instaladas em todas as escolas primárias do concelho e também no grande produtor “Lar de Miro”. A compostagem está a funcionar bem nas escolas, com exceção da EB1 Seixo e EB1 Figueira de Lorvão, cujo processo vai mais lento, devido a terem poucos verdes (o almoço não é confecionado na escola).


      Distribuição de Mini-Ecopontos

        Foram distribuídos 500 mini-ecopontos a famílias do concelho, abrangendo cerca de 2140 pessoas, valor superior ao previsto inicialmente.

          

        Dia Mundial do Ambiente

        Para assinalar o Dia Mundial do Ambiente, a Câmara Municipal de Penacova, organizou na Zona Industrial dos Covais, em Travanca do Mondego, uma ação de plantação de carvalhos que, teve como principal objetivo alertar a consciência das populações para a proteção e preservação do ambiente.

         

        Esta ação teve inicio na Semana Europeia da Prevenção dos Resíduos, em novembro de 2017, com a semeadura das bolotas, no composto produzido na escola, pelos alunos que frequentam o 4º ano no Centro Escolar de Penacova. E agora em virtude da sua germinação, deram origem aos carvalhos “Quercus Robur” que foram plantados.

         

        PAYT - Vontade de pagar uma tarifa justa

        No âmbito da Gestão de Resíduos, apesar dos esforços realizados pela Câmara Municipal, nomeadamente com a introdução de mais Ecopontos, a recolha seletiva por este método estagnou nos últimos dez anos. Em 2016 o valor registado foi de 8,4%. Há necessidade de aumentar a percentagem de separação dos resíduos na fonte, a nível domiciliar e comercial, melhorando o desempenho ambiental económico no município de Penacova. Conseguir este objectivo implica estudar e implementar os sistemas tipo Pay-as-you-throw (PAYT). Estes apresentam-se como sistemas justos e equilibrados, nos quais está bem patente o princípio do poluidor-pagador, funcionando como um incentivo à redução da produção de resíduos, no sentido em que “quem produz mais, paga mais”.

        A introdução de sistemas PAYT quer ao nível regional quer municipal, abrangendo a totalidade dos habitantes de uma comunidade ou apenas uma parte deles advém da importância crescente que os resíduos urbanos têm no planeamento e gestão ambientais e da constatação de que existe um número significativo de melhorias e de especificações que a eles podem ser dirigidos, contribuindo para uma valorização do ambiente traduzida numa melhor qualidade de vida, um sistema justo em termos de tarifação e balanço económico mais positivo em termos de reciclagem e reutilização de resíduos.

        De um modo geral são apontados três benefícios resultantes da implementação de sistemas PAYT, designadamente: 
        • A redução dos resíduos indiferenciados produzidos a nível doméstico e comercial, uma vez que as tarifas do tipo PAYT se dirigem maioritariamente aos resíduos indiferenciados.
        • Um aumento das quantidades de resíduos recolhidos seletivamente – embalagens de plástico/metal/ECAL, papel-cartão, vidro e resíduos orgânicos (ou biorresíduos), contribuindo assim para o cumprimento das metas definidas no PERSU 2020.
        • A equidade que resulta da aplicação do princípio do utilizador pagador. De facto, a tarifa deverá corresponder à contrapartida financeira correspondente ao serviço prestado e, consequentemente, deve ser exclusivamente a qualidade e intensidade desse serviço que determina o valor da tarifa. 

        Por isso a importância deste inquérito, que pode ser consultado aqui.

         

        Copyright @ 2015